top of page
  • Foto do escritorNael Rosa

"A exemplo do que ocorre todos os anos, novamente ficaremos endividados", reclama presidente da Escola de Samba Gambada

Foto: Maico Borges

Entidade carnavalesca é a única a desfilar durante o Carnaval de Piratini

Com o samba enredo “Sorrir e sambar é só começar”, de autoria do compositor, Diego Nicolau, a Escola de Samba Gambada, a única de Piratini, está com boa parte da estrutura que levará dias 10 e 11 de fevereiro para a Avenida Gomes Jardim, pronta.


Segundo informou, Sérgio Castro, que preside a entidade carnavalesca, o processo de confecção das alegorias já está bastante adiantado, e elas serão finalizadas em breve,  no Centro de Eventos Erni Pereira Alves.


Quanto às críticas emitidas através das redes sociais à agremiação em virtude do atraso na apresentação em 2023, o que irritou o público presente no Centro Histórico Farroupilha, ele disse que a intenção é corrigir esta falha, mas alega que a obediência ao relógio não depende somente do empenho feito pela diretoria.


 “É preciso dizer que, o baile infantil promovido pela Sociedade Recreio Piratiniense, tem colaborado para o atraso, já que não termina antes das 21h30min, horário estipulado novamente este ano, para começarmos a concentração. Lembro que, a duquesa da SRP, bem como a rainha dessa entidade, também desfilam na Gambada.  Sem falar nas muitas crianças e, até seus pais, que primeiro vão ao baile e, só após o seu final, correm para casa para vestir ou trocar a fantasia  e com isso participar do nosso desfile. O resultado: atraso”, justifica Castro, afirmando a seguir que, para o Carnaval de 2024, o desfile começará impreterivelmente às 22h30min.


 O carnavalesco tornou a queixar-se da falta de apoio financeiro por parte do poder público municipal, o que garante, tem dificultado levar a escola para a avenida a cada ano que passa.


“Cada vez  está mais difícil realizar o desfile. O nosso carnaval custa caro. Não sei dizer ainda quanto vamos gastar este ano, mas com certeza, muito mais do que em 2023, pois, com exceção dos destaques, para todo o resto dos componentes a fantasia é doada por nós”, revela Castro, que encerra:


“Quase a totalidade dos recursos que entram vem de apoiadores e patrocinadores, todos ligados à empresas de Piratini. Soma-se a essa ajuda, também o que arrecadamos ao longo do ano com a promoção de eventos em nossa sede e, mesmo assim, não é o suficiente, então, de novo, teremos um déficit e ficaremos endividados”.


Reportagem: Nael Rosa

296 visualizações
Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png
bottom of page