• Nael Rosa

Após derrota, Macega sinaliza que vai deixar o MDB


Vereador disse que ainda pretende ser candidato a prefeito

O casamento de 22 anos de Marcial Guastucci, o Macega, com o MDB, parece estar próximo do fim. Após a derrota para Daniel do Paredão no último sábado (24) quando o partido escolheu o novo diretório que resultará na escolha da executiva para os próximos dois anos, ele avaliou seu desempenho e falou do seu futuro político, que indicou, será por em sigla.


Ele disse que o resultado do pleito ficou dentro da sua expectativa, pois, enquanto a seu favor apenas sete pessoas trabalharam, a chapa adversária contava com o apoio maciço de outras lideranças do partido.


“Ao lado deles tinha um ex-prefeito, vereadores, suplentes de vereadores, ex- secretários e o atual presidente do partido. Enquanto na minha chapa apenas eu de liderança, então o resultado ficou dentro do esperado”, avaliou Macega.


Ele disse que sua derrota fará com que faça uma análise com calma, mas profunda, mas que são grandes as possibilidades de que ele peça a desfiliação da legenda pela qual conquistou dos mandatos para a Câmara, sendo que na última alcançou a maior votação da história para o Legislativo de Piratini ao obter 1.312 votos.


“Devo sair, inclusive já estou conversando com outros partidos, pois nesses sete anos que estou vereador, em momento algum ninguém do MDB valorizou ou me cumprimentou pelo trabalho de fiscalização que eu faço, o que me leva a crer que, politicamente, eles não me aprovam ou tem inveja do que eu faço. Entendo que com esse resultado não serei o candidato a prefeito da legenda ano que vem, o que asseguro não me impedirá de concorrer à Prefeitura”, assegura o vereador.


Na tarde de domingo (25), Vagner Guastucci, o Patorra, anunciou em suas rede social que está deixando o partido, mas que mantém sua decisão de ser candidato a vereador, faltando definir a sigla.


O casamento de 22 anos de Marcial Guastucci, o Macega, com o MDB, parece estar próximo do fim. Após a derrota para Daniel do Paredão no último sábado (24) quando o partido escolheu o novo diretório que resultará na escolha da executiva para os próximos dois anos, ele avaliou seu desempenho e falou do seu futuro político, que indicou, será por em sigla.


Ele disse que o resultado do pleito ficou dentro da sua expectativa, pois, enquanto a seu favor apenas sete pessoas trabalharam, a chapa adversária contava com o apoio maciço de outras lideranças do partido.


“Ao lado deles tinha um ex-prefeito, vereadores, suplentes de vereadores, ex- secretários e o atual presidente do partido. Enquanto na minha chapa apenas eu de liderança, então o resultado ficou dentro do esperado”, avaliou Macega.


Ele disse que sua derrota fará com que faça uma análise com calma, mas profunda, mas que são grandes as possibilidades de que ele peça a desfiliação da legenda pela qual conquistou dos mandatos para a Câmara, sendo que na última alcançou a maior votação da história para o Legislativo de Piratini ao obter 1.312 votos.


“Devo sair, inclusive já estou conversando com outros partidos, pois nesses sete anos que estou vereador, em momento algum ninguém do MDB valorizou ou me cumprimentou pelo trabalho de fiscalização que eu faço, o que me leva a crer que, politicamente, eles não me aprovam ou tem inveja do que eu faço. Entendo que com esse resultado não serei o candidato a prefeito da legenda ano que vem, o que asseguro não me impedirá de concorrer à Prefeitura”, assegura o vereador.


Na tarde de domingo (25), Vagner Guastucci, o Patorra, anunciou em suas rede social que está deixando o partido, mas que mantém sua decisão de ser candidato a vereador, faltando definir a sigla.

11 visualizações
funeraria.jpg
1/2
1/2
Registre-se no nosso site e receba avisos de novas notícias!
  • perfil oficial

© 2021 por Nael Rosa. Produzido por Piratini Commerce