top of page
  • Foto do escritorNael Rosa

Após 14 anos do lançamento do projeto, pórtico de Piratini deverá ser concluído até o final do primeiro semestre

Foto: Nael Rosa

Pórtico que, pelo projeto original seria instalado no Alto do Rosalvo, ERS- 702, está sendo construído dentro da cidade

Junho de 2021, também aqui, esse foi o título da matéria do dia: “Onze anos depois, o projeto do pórtico de Piratini poderá sair do papel”.

 

Em Julho de 2023, o destaque do site foi: “Com 13 anos de atraso,  pórtico de Piratini começa a ser construído”.


E por fim, o assunto tornou a ser abordado por este veículo de comunicação em outubro de 2023, com a seguinte chamada: “Construtora abandona quatro obras, entre estas, a do Pórtico de Piratini”.


Fizemos essa retrospectiva para permitir ao nosso leitor perceber a quanto tempo esta situação envolvendo o pórtico que, 14 anos e R$ 550 mil em emendas parlamentares, depois, poderá, segundo a Prefeitura de Piratini, ser finalmente finalizado antes da conclusão do primeiro semestre deste ano.


De acordo com as informações fornecidas pela assessoria de comunicação do município, a obra, que começou a ser construída na entrada da cidade e a poucos metros do trevo de acesso à rodovia estadual, será retomada em breve, já que o novo processo licitatório para a contratação de uma empresa para este fim foi aberto, concluído e houve uma vencedora que dará continuidade ao que a Prestadora de Serviços Lupe LTDA, deu início e, logo a após, abandonou a empreitada.


Para que seja possível entender quanto ao valor citado no início da matéria, os R$ 550 mil, detalharemos: foram três emendas parlamentares, sendo a primeira de R$ 100 mil destinada a Piratini em 2010, pelo deputado federal Afonso Hamm (Progressistas). Para que esse recurso não fosse perdido, pois o projeto não avançou por entraves burocráticos junto ao DAER que não permitiu a instalação na 702, o valor acabou sendo usado para pavimentar parte da rua Osvaldo Aranha que leva ao Centro de Eventos Erni Pereira Alves.


A seguir, também na gestão de Vilso Agnelo (PSDB), através do vereador Sérgio Castro, o Serginho (PDT), responsável pela ideia e também por intermediar a conquista de todas as emendas, o também pedetista, deputado federal Pompeo de Mattos, destinou para que, mais uma vez o projeto saísse do papel, R$ 200 mil. Mas de novo, pelo o mesmo motivo:

burocracia, o prazo para a utilização do recurso expirou e este foi perdido.


Por fim, no governo do pedestista Vitor Ivan Gonçalves (PDT) Mattos remeteu outros R$ 250 mil para, de novo, o pórtico fosse instalado na localidade denominada Alto do Rosalvo e, desta cifra, já foram gastos pouco mais de R$ 90 mil pagos pela Prefeitura à Lupe, que não concluiu a construção.


De acordo com informações fornecidas ao Eu Falei, restam pouco mais de R$ 172 mil para que, finalmente, a cidade tenha um pórtico, sendo que destes, quase R$ 12 mil será a contrapartida do município.


Mas qual o motivo de ser, Piratini, talvez a única cidade no Brasil a ter um pórtico dentro do perímetro urbano?


Nas redes sociais sobram críticas à Prefeitura devido ao local escolhido para a obra que, depois de finalizada, desejará boas vindas ou boa viagem a quem vai chegar ao sair da 1ª Capital Farroupilha, pois o esqueleto da mesma, única fase concluída pela LUPE, está atrapalhando o trânsito e, de acordo com as manifestações de parte da população, a questão estética é outro problema. Essas  críticas também são destinadas a Serginho, que, procurado pela reportagem, se defende:


“A comunidade tem vinculado a mim o fato deste pórtico estar sendo construído dentro da cidade. Mas de uma vez por todas tem que ficar claro: não tenho a nada a ver com isso, sou apenas aquele que teve a ideia e conseguiu todos os recursos e nada mais”, garante o parlamentar, que segue:


“O local escolhido é de responsabilidade única e exclusiva do prefeito, que, sob o argumento de que se o projeto original fosse respeitado, ou seja, na ERS, o município ia ter que gastar quase o dobro do que foi destinado por último pelo Pompeo, e a Prefeitura não dispõe deste dinheiro, e para que o  valor novamente não fosse perdido, o prefeito decidiu fazer ali a instalação. Esta decisão foi tomada só por ele”.


Em busca da resposta e contraponto, levamos tal indagação à assessoria de comunicação de Márcio Porto (MDB). No total, foram dois contatos com esta finalidade em 10 dias, mas de fato, não obtivemos nenhum retorno que pudesse responder a tal pergunta, o que também não ocorreu até o fechamento da edição, nesta quarta- feira, 23 de abril.

 

Reportagem: Nael Rosa

233 visualizações

Comments


Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png
bottom of page