• Nael Rosa

" Deu muito certo e por isso vamos ampliar", diz secretário de Saúde sobre atendimento noturno

Foto: divulgação

Diversos profissionais estão à disposição da população

Quatro meses após a sua implantação, o secretário de Saúde Wilbor Pinheiro fez uma avaliação do atendimento noturno nas unidades existentes em Piratini. De acordo com ele, a iniciativa foi e está sendo exitosa, pois permite que a população tenha acesso aos serviços e profissionais da área em um horário alternativo, tendo a sua disposição médicos, técnicos em enfermagem, enfermeiras, nutricionistas e odontólogos.


De acordo com Pinheiro, um dos bons exemplos dessas ações ocorre na Estratégia de Saúde da Família Virgínia Porto. Situado no Cancelão, bairro distante dez quilômetros da sede, o posto abre as quartas-feiras quatro vezes por mês, o que tem facilitado a busca dos moradores por vários procedimentos.


“O Cancelão serve como demonstrativo de que deu muito certo a implantação do horário noturno. A busca nesta ESF tem sido muito grande por parte daquela população e também pelos residentes na Agrofil, localidade próxima dali, em que a maioria atua no setor de silvicultura, precisando assim dispor de um horário alternativo para consultar”, destaca o secretário.


Já na cidade, onde o atendimento noturno ocorre duas vezes por mês, sempre às quintas-feiras, Pinheiro disse que ainda a comunidade não tem buscado de forma efetiva pelos serviços disponíveis, mesmo assim, até dezembro este benefício que ainda ocorre no posto da Vila Nova, irá se estender também para a unidade do bairro Padre Reinaldo, e, em todos, os usuários contarão inclusive com um cirurgião dentista para atendimentos a pessoas especiais.


“Isso é algo a se destacar. Temos um convênio com a Universidade Federal de Pelotas que nos permite ofertar um cirurgião para pessoas com patologias e que precisam de anestesia geral para passar por procedimentos, como por exemplo, portadores de Síndrome de Down. Esses atendimentos são realizados no centro cirúrgico do Hospital Nossa Senhora da Conceição, com toda a segurança para o paciente”.


Segundo ele, ampliar o horário em que ocorre o fornecimento dos serviços, também é uma forma de tentar mobilizar a população a buscar pelas vacinas que no geral ele considera muito baixa.


“Mesmo sendo recente a disponibilização de vacinas para crianças a partir dos três anos, entendo que a procura está aquém do esperado, pois apenas 5,9% das crianças dessa faixa etária foram imunizadas em Piratini. Entre os que têm de 5 a 11 anos, o índice é um pouco maior: 64,3%, mas pode melhorar. Acima desta idade, onde se incluem os adultos, fica a desejar, já que o índice está em 40,6%”, reclama Pinheiro, que fornece outro número preocupante:


“A busca pela vacina da pólio decepciona. Vacinamos apenas 9,44% das crianças que podem receber a gotinha. Precisamos mais conscientização dos pais, uma vez que a Poliomielite, doença que estava erradicada no Brasil, já apresenta casos no país. É sempre bom destacar que essa patologia provoca lesões irreversíveis, assim protejam seus filhos e procurem os postos para vaciná-los”, apela o gestor.

Reportagem: Nael Rosa


174 visualizações
Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png