• Nael Rosa

"Minha única frustração foi não ter conseguido contratar médicos", diz Cássio Segatto

Foto: Elis Garcia

Cássio Segatto ficou 14 meses à frente da pasta

Depois de 14 meses no cargo, Cássio Segatto deixou a Secretaria de Saúde de Piratini na segunda-feira (28), uma experiência que ele garante foi gratificante, de muito trabalho, conquistas, mas também de frustração.


Ele lembra que assumiu a pasta em um momento complexo, pois a vacinação da população estava apenas no início e foi confuso até mesmo comunicar quem podia ou não se imunizar, o que foi resolvido com a união da equipe, fator que Segatto faz questão de frisar, contribuiu para que sua gestão fosse um aprendizado em uma área até então desconhecida para ele.


“De um modo geral, ter sido secretário foi muito bom como experiência de vida. Eu não tinha a menor ideia de como funcionava esta área, então aprendi muito e nós, a equipe e eu, tivemos muitas dificuldades, mas as superamos e conseguimos ajudar muita gente que aqui foi acolhida. Me sinto feliz, pois tratamos a todos que chegaram até nós como gostaríamos de ser tratados”, assegura.


Conquistas:


Como conquistas do período em que esteve à frente da saúde do município, Segatto destaca a renovação da frota. O município adquiriu dez carros em menos de um ano, o que segundo ele, era imprescindível para ofertar qualidade a quem se utiliza do transporte para se deslocar para as cidades de referência.


“Quando assumi a frota de veículos estava sucateada, era muito antiga e precisava ser renovada urgentemente. Compramos praticamente um carro por mês, mas não foi somente isso. Quero destacar a compra de seis geradores de energia que serão instalados nas unidades de saúde de Piratini, algo de extrema relevância já que temos uma problema grave de energia na cidade, o que prejudicava muito o atendimento nos postos quando faltava luz. Também compramos dez aparelhos de ar condicionado que serão colocados nessas unidades e isso vai dar mais conforto a todos que as buscam ou que nelas trabalham”, destacou.


Frustração


Cássio Segatto disse que o único desafio não vencido em sua gestão foi a falta de médicos. Para exemplificar essa dificuldade, ele revela que o município chegou a ter apenas dois profissionais da área trabalhando, algo muito distante da necessidade.


“Soma-se a este problema o fato de que houveram pedidos de licença médica e afastamentos de profissionais que contraíram Covid-19. Estruturamos quase toda a equipe, mas confesso que saio do cargo com essa única frustração”, lamenta o então secretário, que garante que a Prefeitura tentou de várias formas a contratação, mas em nenhuma obteve sucesso.


“Hoje o município paga R$ 4 mil reais para um profissional trabalhar por 20 horas semanais, valor que um médico consegue ganhar em dois plantões em sua cidade sem precisar gastar com combustível, alimentação e hospedagem. Dessa forma está muito difícil dar solução a este problema, mas o novo secretário já está trabalhando para resolver”, informa Segatto, ao referir-se a Wilbor Duarte Pinheiro, que o substitui.


Reportagem: Nael Rosa

Contato: 9-99502191

Email: naelrosaeufalei@gmail.com


Leia a nota de despedida de Cássio Segatto


“É com enorme aperto no coração que comunico a todos, oficialmente, o meu desligamento do cargo de Secretário de Saúde de Piratini.


Deixo a administração pública por motivos pessoais, com a certeza e a consciência tranquila de que nos últimos 14 meses em que estive prestando serviços à comunidade dediquei cada segundo do meu tempo para trazer melhorias a minha amada Piratini.


Aprendi muito durante esse período. Já no início de 2021, quando atuava na pasta do Desenvolvimento Econômico, entre outras coisas, tive a oportunidade de participar ativamente das negociações para chegada da West Aves ao nosso Município.


Depois, a convite do Prefeito Márcio, comecei minha jornada a frente da Secretaria de Saúde. Foram tempos difíceis, meus amigos me chamavam de louco por aceitar tal convite, escutei muito a seguinte frase: “Está maluco? Vai assumir a Saúde no pior momento de uma pandemia?”. Realmente não foi nada fácil, dentre todas as demais tarefas que envolvem o cargo, cada dia era uma nova luta para tentar combater o avanço da pandemia. Foram várias noites em claro ligando para hospitais na busca de leitos de UTI para internação. Durante o processo, perdi amigos para a Covid, mas tive o prazer de ver a esperança renovada no rosto das pessoas que recebiam a vacina.


Foram muitas conquistas nesse curto período, entre as quais posso citar a compra de 10 novos veículos, a disponibilização de cursos de aperfeiçoamento aos motoristas (com certificação internacional) para dar maior segurança no transporte da população e, mesmo com a impossibilidade de contratação de mais médicos, a retomada dos atendimentos mensais na comunidade da Solidão e dos atendimentos noturnos nos Postos de Saúde da cidade e do Cancelão. Também foi ampliado o convênio com o Hospital, disponibilizando novas especialidades à população, e realizados investimentos em geradores de energia (que serão instalados em breve) destinados ao CAPS, à Secretaria de Saúde e às Unidades de Saúde da cidade e do Cancelão, no intuito de evitar que as constantes faltas de energia elétrica impeçam os atendimentos aos pacientes.


Todavia, o mais importante, é a certeza de que deixo a Secretaria sabendo que cada pessoa que veio até mim buscando auxílio para solucionar seus problemas foi recebida e atendida com todo carinho e respeito. Tratei a todos como gostaria de ser tratado.


Agradeço a toda equipe da saúde pela ajuda e comprometimento que tiveram, aos funcionários de todos os setores da Prefeitura Municipal, onde sempre fui bem atendido, aos colegas secretários pela parceria, mas, especialmente, ao Márcio e ao Claudinho pela confiança no meu trabalho e pela oportunidade que me deram e tenho certeza de que sua gestão ficará para a história da nossa querida e amada Piratini.


Muito Obrigado!”

235 visualizações
Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png