• Nael Rosa

Chuva ameniza situação no interior e secretário vê redução nos pedidos de água


Jovan disse que o município precisa de ajuda do governo do Estado e da União

Tão necessária e esperada, a chuva finalmente caiu em Piratini e os 133 milímetros registrados entre os dias 21 e 23 de maio já foram suficientes para reduzir os pedidos de água potável feitos por residentes na zona rural à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural que operava no limite da distribuição.


Segundo Jovan Lima, titular da pasta, até a chegada da precipitação a situação era classificada como crítica, pois mesmo com os dois caminhões tanques da prefeitura e um terceiro pertencente ao exército, foi impossível atender a todos.


“Nos cinco distritos rurais de Piratini estávamos com 700 famílias cadastradas e sendo atendidas com água potável, mas não dávamos conta de ajudar a todas elas e quando conseguíamos, levamos em média vinte dias para retornar ao mesmo local devido a grande demanda, o que fazia com que as pessoas ficassem sem o líquido”, detalhou Lima.


O secretário disse que com a quantia de chuva que caiu, já foi possível notar uma redução de pedidos por água, mas que isso será mais bem avaliado a partir de quarta-feira, 27 de maio, pois como muito poços estavam secos, muitos deles ainda estão com o líquido impróprio para o consumo devido à presença do barro.


“Neste primeiro momento, mesmo de forma reduzida, devemos manter o fluxo de viagens para o interior, mas com o passar dos dias isso deve diminuir, já que a água dos reservatórios deve deixar de ficar barrenta e poderá ser consumida”, explicou o gestor.


Mas conforme Jovan Lima, infelizmente somente a chuva não resolve todos os problemas causados pela estiagem, pois a chegada das estações frias deve castigar ainda mais os produtores que nada puderam colher este ano, uma vez que, o que a seca não matou, a geada se encarregará de aumentar os prejuízos, daí a importância do socorro vindo do governo do Estado e também da União para quem da terra extrai o sustento.


“O município precisa de ajuda diante do seu decreto de emergência. Por enquanto o que Piratini recebeu foi R$ 45 mil da Defesa Civil para a compra de combustível, e só isto é insuficiente. É preciso, por exemplo, o perdão para quem aderiu ao sistema troca- troca de sementes, uma vez que a dívida nesse sentido é paga com o que se colhe e como nada se colheu, fica impossível quitar os débitos”, destacou o secretário.


Nael Rosa- redator responsável

Wats: 53-984586380

Cel: 9-99502191

Email: naelrosaeufalei@gmail.com

275 visualizações
funeraria.jpg
1/2
1/2
Registre-se no nosso site e receba avisos de novas notícias!
  • perfil oficial

© 2021 por Nael Rosa. Produzido por Piratini Commerce