top of page
  • Foto do escritorNael Rosa

Exemplo de amor ao próximo: em apenas 24h, piratinienses doam 20 toneladas de alimentos e R$ 15 mil para as vítimas das enchentes no RS

Foto: divulgação

Apenas para os agasalhos, cobertas e colchões, foi necessário um bitrem para armazenas as todas as doações

Bem distante, graças a Deus, da realidade das pessoas que moram, inclusive nas cidades situadas na chamada região dos Vales, a população de Piratini, deu, outra vez, um exemplo de solidariedade, ao estender as mãos aos seus semelhantes que, em grande parte do Estado gaúcho, se encontram sem água, energia elétrica, sem linha telefônica, sem agasalhos, a grande maioria também sem suas casas, levadas pela enchente e, por fim, infelizmente, muitos também, sem vida.


Através de um grupo de amigos que, às 18h do sábado (04) decidiram que não ficariam inertes diante de tamanha tragédia que atingiu o RS, e, através das redes sociais, Facebook e WhatsApp,  começaram a mobilizar a comunidade para, a partir das 10h do domingo (5), se dirigirem à Praça Inácia Machado da Silveira, o Palanque, situado no Centro Histórico Farroupilha, para doarem, principalmente, alimentos não perecíveis a serem destinados para os desabrigados.


A mobilização foi tamanha que, centenas de pessoas, se não milhares, se envolveram na causa. O resultado surpreendeu a todos, entre estes, ao empresário Alisson Zafallon, que, proprietário de uma empresa de transportes, cedeu uma das suas carretas, modelo bitrem, onde os donativos foram armazenados.


“Eram seis da tarde do sábado quando, alguns de nós, decidimos que precisávamos fazer algo para ajudar. Não teve planejamento, foi  tudo muito rápido e espontâneo. Um cuidou de uma coisa, outros ficaram responsáveis por fazer outras funções, e assim aconteceu. Em mim, particularmente, causou enorme surpresa a proporção que essa iniciativa tomou, pois quando eu estacionei o caminhão, às 9h da manhã, me perguntei como seria, se conseguiríamos enchê-lo. Uma hora depois começaram a chegar donativos, não parou mais, a noite entrou e isso continuou a acontecer”, relata Zafalon.


O saldo foi um bitrem lotado de roupas, colchões e cobertas, e meio bitrem onde, de acordo com a contabilidade dos participantes, foram colocadas 20 toneladas de alimentos.


“Estamos realizados. Vimos pessoas, a maioria de pouco poder aquisitivo, indo até a praça para doar o que tinham: um quilo de feijão, por exemplo. Ou seja: mesmo com poucas condições financeiras, muitos fizeram questão de ajudar. Foi emocionante”, avalia.


Mas as doações não ficaram concentradas somente em gêneros alimentícios, de higiene e limpeza, água e outros. As centenas de envolvidos na causa nobre, principalmente através de grupos de WhatsApp, mobilizaram uma grande parte do empresariado da cidade, o que levou à captação, via Pix, de R$ 15 mil, valor que será convertido em alimentos de fácil consumo, para as vítimas do desastre climático.


“Nossa meta é de R$ 20 mil. Tudo isso que a população doou, seguirá, assim que houver acesso pelas rodovias que permitem chegar às cidades da região dos Vales, para ajudar quem se encontra nesta triste situação. Resta-nos agradecer a todos que, de diferentes maneiras, são os responsáveis por Piratini ter feito sua parte. Obrigado!”, finaliza Zafallon, ao falar em nome dos responsáveis que deram início à ação.


Reportagem: Nael Rosa

113 visualizações

Kommentare


Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png
bottom of page