• Nael Rosa

Família de Pingo aguarda resultado de exame de DNA para saber se ele está morto

Foto: reprodução Facebook

Pingo teria sido morto por sufocamento com o uso de um lençol

Esperar. Esta é há três meses a situação dos familiares de Mário Sérgio Silveira Nunes, o Pingo, 49 anos, pelotense desaparecido em Piratini em 30 de setembro do ano passado.


Sem respostas, resta à família aguardar o resultado do exame de DNA para qual forneceram material que vai ser comparado com uma ossada encontrada no bairro Santa Isabel poucos dias depois.


A reportagem Eu Falei novamente conversou com uma irmã de Pingo a qual vamos preservar o nome e que inclusive teve o material coletado para que a análise científica seja realizada.


“Forneci o material em novembro último e estamos aguardando para saber o resultado. Mas essa demora nos faz crer que ele está morto e que o corpo dele foi carbonizado, daí essa dificuldade em confirmar ou não se a ossada encontrada pertence ele”, disse a irmã que reside em Pelotas.


Para ela, tanta espera faz mal a todos que tem laços com a possível vítima de homicídio.


“Estamos apavorados e continuamos procurando pistas e quando estas surgem nós vamos atrás para conferir. Estamos apreensivos”, relata a familiar.


No dia 9 de outubro, uma operação da Polícia Civil de Piratini prendeu em São José norte um homem e uma mulher suspeitos do crime.


Um dia depois do provável homicídio, o advogado de uma pessoa que assegurou ser testemunhado do fato, relatou a nossa reportagem que Pingo foi morto por sufocamento em que foi usado um lençol. Após seu corpo teria sido colocado dentro de um roupeiro transportado por um veículo que faz frete particular no município.


Reportagem: Nael Rosa

Contato: 9-99502191

Email: naelrosaeufalei@gmail.com

1,056 visualizações
Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png