top of page
  • Foto do escritorNael Rosa

"Ela e o Executivo terão que se explicar", diz Manoelão sobre declarações de Cleusa Manetti

Foto: Nael Rosa

Manoel Rodrigues classificou o comentário da colega como infeliz e que necessita de maiores explicações

O vereador Manoel Rodrigues (Progressistas) aprovou na quinta-feira (9) junto à Mesa Diretora do Legislativo de Piratini, um requerimento onde pede a presença ainda este mês, dos responsáveis pelo setor de licitações da Prefeitura, bem como do empresário Jorge Luiz Ferreto Júnior, proprietário da Top Brinke, empresa vencedora da concorrência para instalar três parques infantis em praças do município ao valor de R$ 116 mil.


O pedido de Rodrigues tem como motivo um comentário feito na reunião do dia 1 de novembro pela vereadora Cleusa Manetti (MDB), onde a mesma revelou que pediu um “brinde ao Jorge das praças”, e que o mesmo não cumpriu com o prometido e que ela iria cobrar o cumprimento da promessa.


Em entrevista ao Eu Falei, Manoelão, como é conhecido, disse que o comentário de Cleusa foi muito infeliz e que no mínimo requer mais explicações da parlamentar, assim como do Executivo.


“Ficou muito chato o que ela disse. Não estou a acusando de nada, mas na minha visão, a Cleusa é ré confessa, pois o empresário que ela afirmou ter prometido o tal brinde, é dono da empresa que ganhou a licitação para instalar os brinquedos pagos pelo município”, disse o vereador, que foi além:


“A situação se torna ainda mais complexa em virtude da vereadora Cleusa ter dito em plenário que cobraria o prometido pelo empresário, e se ele não cumprisse, na próxima compra, ou seja, em, caso de ele vencer uma nova licitação para o mesmo fim, iria chorar para ele reduzir o preço”.


Rodrigues usou o termo “enredado” para se referir ao processo licitatório em questão e lembrou que ao vereador cabe apenas o papel de fiscalizar, inclusive licitações, para saber se tudo foi feito dentro da lei, e não participar dos trâmites que culminam em obras pagas com dinheiro dos cofres públicos.


“Quero saber se a minha colega teve participação na licitação, pois repito: a manifestação dela foi extremamente infeliz e carece de explicações, o que vou continuar cobrando até estar satisfeito”, finalizou Manoelão.


Na busca do contraponto, tentamos ouvir Cleusa Manetti na sexta-feira (10), mas ela negou-se a falar sobre o fato, alegando que sua manifestação já tinha se dado em plenário na sessão realizada um dia antes.


Também questionamos a Prefeitura de Piratini, que, através de sua assessoria de comunicação, enviou uma nota onde garante não possuir qualquer tipo de envolvimento com os vereadores Manoel Rodrigues e Cleusa Manetti.


A nota destaca ainda que, o processo licitatório em questão, foi feito na modalidade “Pregão Eletrônico”, onde os participantes só são conhecidos na abertura do certame, sem interferência do pregoeiro, assim, se torna impossível qualquer participação de um vereador.


Reportagem: Nael Rosa



769 visualizações

Comentários


Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png
bottom of page