top of page
  • Nael Rosa

Milonga João Sem Rumo é a grande vencedora da Vertente da Canção Nativa de Piratini

Foto: Nael Rosa

Música Arvorezinha levou três prêmios e revelou a jovem Gabriele Hellvig como compositora

Com o Ginásio Benoir Garcia completamente lotado, público muito superior ao obtido no festival do ano passado, Piratini conheceu no último sábado os vencedores da 10ª edição da Vertente da Canção Nativa, evento promovido pela Prefeitura Municipal nos dias 2 e 3 de dezembro.


A grande campeã foi a canção João Sem Rumo, um milonga com letra de Lau Melgarejo, com música de Juliano Rodrigues e interpretada por Nicolas Leal e Juliano Moreno, música que levou também o prêmio de melhor arranjo.


O segundo lugar foi para Poeta Não é Ofício, outra milonga, que tem letra de Otávio Lisboa com letra de Henrique e Felipe Corso e interpretada por Fabiano Bacchieri.


Na terceira colocação ficou a Mão Esquerda da Gaita, de autoria de Jaime Brum Carlos, música de Silvio Teixeira da Costa, interpretada por Igor Tadielo.


A preferida do público como canção mais popular foi Arvorezinha, que deu à jovem compositora piratiniense Gabriele Hellvig outros dois prêmios: Destaque Feminino do Festival e Melhor Tema Sobre Piratini.


Caroline Caetano, secretária de Cultura e Turismo, disse que o festival merece nota máxima, já que novamente foi um desafio muito grande realizá-lo, o que exigiu afinco por parte da comissão organizadora.


“Vencemos esse desafio ao trabalhar com muita responsabilidade, o que é comum em todos os eventos organizados e promovidos pela secretaria. A Vertente é aquele que exige muito de nós, pois lidamos com um dos festivais mais importantes do nosso estado. Então asseguro que a sensação é de dever cumprido”, disse Caroline.


Quanto ao retorno dado pelo público que prestigiou o festival, Caroline acredita que isso foi o resultado do trabalho realizado, prestígio que influenciará na promoção da Vertente também em 2023.


“Estamos felizes em todos os sentidos, afinal, foram 512 músicas inscritas, número bem maior do que em 2021, isso é gratificante e mostra o reconhecimento por parte da comunidade que abraçou o festival, bem como os artistas que enviaram suas canções para a triagem. Diante de tudo isso eu afirmo que a Vertente retornou para ficar e se depender de mim ela não deixará mais de ser realizada”, afirmou.


Reportagem: Nael Rosa

380 visualizações
Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png
bottom of page