top of page
  • Foto do escritorNael Rosa

Para superar a morte do filho Lucas, campeão pelo BGV, César decide retomar o projeto social Garra Jovem

Foto: reprodução Facebook

Lucas e o pai, César Porciúcula, em um dos vários momentos em que o atleta foi campeão

A dor pela perda de forma brutal do filho, naturalmente ainda é intensa, afinal, Luiz César Porciúncula, de 53 anos, presenciou o crime que ocorreu em frente a sua residência, em Candiota, na noite de 2 de setembro, quando Lucas, de apenas 22 anos, atleta de Futsal conhecido em toda região pelo talento com os pés, foi baleado na cabeça na sua presença, vindo a falecer horas mais tarde após sofrer duas paradas cardíacas.


Mas mesmo passando pelo processo doloroso e necessário do luto, ele e a família já conseguem sorrir novamente. O motivo é a chegada do neto, Matteo Lucas, agora com um mês de vida, filho de Lucas, que o fez repensar a decisão de encerrar as atividades do projeto social Garra Jovem Morada do Sol, que no município acolhe e ensina a prática do esporte para crianças e adolescentes entre 5 e 16 anos.


“Pensei em abandonar tudo, o que é normal diante do que aconteceu, afinal, o projeto nasceu de um pedido dele aos 7 anos em 2008. Mas ao ouvir amigos e também companheiros do Lucas, tomei a decisão de retomar as atividades do Garra no próximo ano, quando eu e minha família estaremos, eu espero, mais fortes e conformado, pois esquecer é impossível”, disse Porciúncula, que acrescenta:


“Essa decisão não foi fácil, pois tudo teve início pelo meu filho e hoje ele não existe mais. Mas sei que ele, esteja onde estiver, não ficaria feliz se eu desistisse, pois outras crianças precisam do projeto, sem falar no filho dele, meu neto, que no futuro poderá ser um atleta que nem o pai e jogar pelo Garra Jovem”.


Ele assegura que ainda serve de conforto o legado deixado por Lucas, que hoje dá nome ao Ginásio de Esportes de Candiota e foi um campeão das quadras, deixando muitos amigos, sempre, segundo observa com orgulho, sendo leal com os adversários.


“Um fim de semana antes de esse psicopata tirá-los de nós de uma forma estúpida, meu filho foi campeão pala equipe do BGV em Piratini, cidade onde o projeto nasceu. A partir de então, ele só nos deu orgulho, sendo leal e solidário, inclusive com os adversários, e isso me

faz ter a certeza de que criei um grande homem que passou por essa vida sem sequer fazer um inimigo e sim, muitos amigos, o que me dá forças para seguir adiante. Decidimos que, em 2024, o nome do projeto mudará, passando a se chamar Associação Lucas Porciúncula do Garra, uma forma de homenagear o Lucas”, revela.


Por fim, César Porciúncula disse entender que nada é por acaso, pois no mesmo ginásio onde o filho passou grande parte da sua curta vida, ele, a esposa e a nora, viveram recentemente um momento de emoção inesquecível.


“A festa de Natal deste ano aconteceu no ginásio onde o Lucas cresceu,  deu show jogando, fez o estágio e que agora tem o nome dele. Na encenação do nascimento de Cristo, meu neto Matteo, foi o escolhido para ser Jesus, o que nos emocionou e fez entender que nada é por acaso. Isso nos ajudará  a seguir em frente”, finaliza.


Reportagem: Nael Rosa


448 visualizações

Comments


Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png
bottom of page