• Nael Rosa

Produção de rosas em Piratini abastece mercado de três cidades

Foto: divulgação

Variedades são plantadas em duas propriedades do 5º Distrito

Dar rosas é um gesto que demonstra de carinho e amor. Para quem as recebe, o afago causa grande alegria e pode ser visto como um sinal de paz, um pedido de desculpas entre os enamorados ou uma maneira singela, porém carinhosa, de dizer o quanto amamos a quem o agrado é direcionado.


Para abastecer as floriculturas de Piratini, Pinheiro Machado e Bagé, o estímulo para a produção de rosas de variedades diversas no município vem do incentivo da Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (ATERS), produtoras de Piratini, região tipicamente conhecida pelo manejo da pecuária e produção de grandes culturas e conforme destaca Anderson Fontoura, extensionista rural da Emater. Isso proporciona renda obtida com a produção de flores que buscam a satisfação dos consumidores e leva um pouco mais de alegria às residências proporcionando um ganho extra e o foco de diversificação das propriedades.


A também extensionista da Emater/RS-Ascar de Piratini, Engenheira Agrônoma Simone Padilha Galarça, frisa que as flores comumente comercializadas no município são rosas rústicas de diversas cores plantadas em 2017, em uma propriedade rural, localidade Orlando Franco, 5º Distrito, cujo produtora é Sátia Madelon Garcia.


Já em 2019, foram introduzidos à propriedade os mosquitinhos (gypsophila) com grande aceitação e agregação de valor aos buquês produzidos e entregues nas cidades citadas acima.


A produção conta com o apoio da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria), com Paulo Groli, professor da disciplina de floricultura.


Também no mesmo distrito, no Passo da Canoa, cujo as produtoras são Janderléia e Rudiléa Garcia, mãe e filha respectivamente, se trabalha com gladíolos, estando neste momento preparando a produção destinada a comercialização das hastes para o dia das mães.


Seu cultivo iniciou em 2018 e seguem na atividade até o momento, aproveitando as técnicas de plantio e manejo proporcionadas pelo projeto Flores Para Todos, promovido pela UFSM (Universidade Federal de Santa Maria), e conta com o apoio dos professores Lilian Uhlmann e Nereu Streck.


As plantas ornamentais também são grandes destaques na promoção de diversificação das pequenas propriedades, com utilização de áreas com boa rentabilidade. As produtoras participam de um grupo, cujos esforços são de compartilhar técnicas de cultivo, produção de biofertilizante em coletivo, manejo sustentável e incentivo á comercialização.


O assessoramento à atividade da floricultura com ênfase na ampliação de renda e diversificação da produção da agricultura familiar está previsto e é apoiado pela Emater/RS-Ascar de Piratini que atua de forma vinculada à Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).


Reportagem: Nael Rosa

Contato: 9-99502191

Email: naelrosaeufalei@gmail.com



403 visualizações
Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png