• Nael Rosa

Câmara aprova projeto que concede 30% de periculosidade para as conselheiras tutelares

Foto: divulgação

Conselheiras tutelares comemoraram a conquista

A Câmara de Vereadores de Piratini aprovou por unanimidade o projeto de lei do Executivo que concede 30% de periculosidade para as cinco conselheiras tutelares do município.


A partir de abril, elas passam a ganhar esse percentual calculado sobre o salário para exercer a função, que segundo a coordenadora, Nilza Silva, oferece perigo em vários momentos em que ocorrem as diligências envolvendo menores.


“O fato é que nunca sabemos como vamos ser recebidas pela família das crianças ou dos adolescentes. Alguns familiares entendem quando, por exemplo, estamos cumprindo uma ordem judicial, mas outros não, pois muitas vezes temos que retirá-los de seus lares e isso é complicado”, explica Nilza.


Ela acrescenta que existem diversas situações de perigo, pois é comum acompanhar autoridades em ocorrências de surtos psicóticos de adultos em locais onde há menores, o que exige a presença do Conselho Tutelar, e isso também oferta riscos para quem exerce esse tipo de trabalho.


“ Há também ocasiões em precisamos ir a locais em que existe tráfico de drogas, o que torna nossa função perigosa”, garante.


A coordenadora diz que com a aprovação da matéria pelo Legislativo, elas estão se sentido mais valorizadas e isso é importante, já que a remuneração para ser conselheira em Piratini ainda está abaixo de outros municípios no estado.


“Estamos conquistando aos poucos nossa valorização, o que é de extrema importância, pois esses 30% de periculosidade hoje beneficiam a nós que nos encontramos conselheiras, mas amanhã vai seguir contemplando quem vier a ocupar o cargo”, arremata.


Reportagem: Nael Rosa

Contato: 9-99502191

Email: naelrosaeufaleipiratini.com

221 visualizações
Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png