top of page
  • Foto do escritorNael Rosa

Supermercado de Frutas Cachoeirense comemorou nesse 8 de março, o primeiro ano da filial Piratini

Foto: divulgação

Direção, colanoradores, fornecedores, clientes e autoriddes estiveram presentes na comemoração de aniversário

O oito de março, data que no calendário brasileiro é especial por ser o Dia Internacional da Mulher, também marcou o primeiro aniversário da filial Piratini do Supermercado de Frutas Cachoeirense, empresa do ramo de alimentação responsável por oportunizar a população do município de pouco mais de 17 mil habitantes, a realmente passar a pagar menos nos últimos 12 meses.


Seja nas chamadas “comprinhas do dia a dia”, hábito que, inclusive as donas de casa, mas não somente elas, adquiriram ao aproveitar a semana inteira para economizar, por exemplo, no Dia da Horta, Dia da Padaria e Dia da Carne, estratégia adotada pelos empresários do segmento objetivando manter em suas lojas um fluxo permanente de clientes, ou ainda para fazer o rancho do mês que, no caso do “Cachu”, apelido carinhoso usado nas redes sociais, é o Dia D”, quando todos os setores da empresa situada próxima ao Hospital Nossa Senhora da Conceição,  entram em promoção e não encontram concorrência na cidade.


Para marcar o momento junto daqueles que o casal proprietário, Isair e Rita Cardoso, entendem serem os seus maiores motivos: a clientela, às 15h, parte da direção, os 28 colaboradores e alguns convidados, entre estes, fornecedores e autoridades do município, cantaram os merecidos parabéns, degustaram bolo e ainda, salgadinhos, abrindo assim, os 30 dias de promoções, ofertas e sorteios que integram a programação que se estenderá até à tarde do dia 7 de abril, oportunidade em que o Cachoeirense vai promover uma festa ao ar livre na Praça da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição.


Ao comentar o êxito do empreendimento, Isair Cardoso, 54 anos, revelou que, na verdade, a intenção era ter a filial na mesma cidade da matriz, mas que uma visita à loja situada na Andrade Neves, centro de Pelotas, mudou totalmente o planejado até aquele momento.


“Planejávamos ampliar os negócios abrindo uma filial no Laranjal. Mas um determinado dia, ao nos visitar, consumir nossa salada de frutas e também gostar do que viu e oferecíamos, o doutor, Fernando Farias, disse: quero isso para Piratini também”, recordou Cardoso.


Esse é o resumo da história que antecedeu a construção do prédio de 600 metros quadrados, sendo 200 metros de área dedicada às vendas, de propriedade da Família Farias, e que nesta sexta-feira abrigou a celebração de um ano de atividade na Capital Farroupilha do super onde não só a qualidade, mas também o preço faz a diferença.


Ao finalizar, Isair disse que resistiu a pôr em prática, o conselho dado pelo amigo médico: ter na filial Piratini também um açougue.


“Não fazia parte do que pretendíamos, inclusive, nem mesmo na matriz comercializávamos carnes, o que atualmente fazemos. Mas o Fernando insistiu usando como argumento que, para dar certo, precisávamos ter também açougue. Ele tinha razão, pois mesmo que o carro chefe das nossas  vendas sejam os hortifrutigranjeiros, o lucro obtido com a carne é muito significativo, concorrendo de igual para igual com a venda de frutas, legumes e hortaliças”. 


Reportagem: Nael Rosa

76 visualizações

댓글


Modelo anúncio entre notícias2.png
Modelo anúncio entre notícias2.png
bottom of page